Lei da compensação

7

Written on segunda-feira, junho 16, 2008 by Maria

Hoje venho aqui falar de uma lei do universo (tipo lei da atracção) que existe desde o inicio da humanidade e que me foi transmitida por pessoas muito sábias e que foi ainda comprovada por mim.

A Lei da Compensação

O que esta lei nos diz é que todo o universo é construido de forma a que não haja ninguém numa ponta da balança, mantendo-se assim um equilíbrio constante. Ou seja, o universo tudo faz para manter um equilíbrio recorrendo à compensação.

E o que é a compensação? É o factor que determina que para uma coisa boa tem que haver uma coisa igualmente má, de modo que resulta para toda a Humanidade um estado de equilíbrio.

Passando de um nível teorico para um prático, vamos ver o exemplo das mulheres (não me culpem, foi assim que me foi passado o ensinamento e foi assim que o comprovei):

As mulheres quando são muito belas e esbeltas (vulgo podre de boas) escondem em si sempre algo que as torna insuportáveis para qualquer relacionamento superior a umas quantas noites (ou horas dependendo do estado da coisa).

As mulheres giras e simpáticas e interessantes tendem a ter um corpo nada interessante.

Quando as mulheres não desenvolveram um aspecto facial muito atraente, o corpo tende a desenvolver-se e torna-se um corpo bastante interessante (vulgo boa comó c#$%lho).

Depois há as mulheres bastante atraentes psicologicamente e muito simpáticas e com quem se pode ter conversas realmente interessantes e que não são maradas da cabeça, mas que a cara e o corpo estão muito longe do que seria minimamente desejável.

Por fim temos as excepções à regra, que são as mulheres que além de ter um corpo parecido com um acidente nuclear, têm uma cara semelhante ao Seal e têm o mesmo interesse que o horóscopo do professor Bamba. Ou seja são as chamadas "não há ponta por onde se pegue". (Não pus o exemplo contrário, de mulher gira, boa e interessante porque só há uma e portanto não serve de exemplo. muahahah)

As conclusões que retiramos daqui é que todas as mulheres têm pelo menos uma coisa que atrai os homens e que também permite que não haja concorrência desleal. Quando se vir uma mulher toda boa já se sabe... não bate bem. Quando ela não for muito gira... então certamente é possível ter uma conversa com ela.

Com isto tentei explicar a teoria da compensação. Certamente aplica-se a outros temas além de mulheres, mas o tempo é escasso. Se alguém quiser desenvolver está inteiramente à vontade.


Beijos e abraços

Piero

If you enjoyed this post Subscribe to our feed

7 Comments

  1. piccola Maria |

    só ha uma mulher, gira e boa e interessante...eu certo? obrigada pedro. :D
    Cá está a lei da compensação: Num blog onde duas pessoas escrevem, uma é gira e boa e interessante, lá está, eu. E o outro, tem de ser o inverso.. portanto uhn..pedro..
    bom, acho que não tenho de dizer mais.. muahahahaha!

     
  2. Jean Manel |

    ahahah gostei particularmente das "n�o tem ponta por onde se pegue"... tese interessante sem duvida...

     
  3. bélinha |

    mas vamos falar da situação masculina??...

    ah booom...pensei!

     
  4. piero |

    Maria, ahah. Querias tu ser essa miúda gira e boa e interessante. Mas no nosso blog continua a haver essa compensação. Quanto mais não seja na questão da altura.

    Belinha, força nisso. Desenvolve lá a situação masculina...

     
  5. |

    Caro Piero,
    Irritaste a minha veia feminista! Porque é que não escreveste a Lei da Compensação usando como exemplo a fauna ou a flora?
    Eu conheço pelo menos 6 mulheres lindas, simpáticas, inteligentes, bem dispostas, com sentido de humor, interessantes... as Divas! Sabes quem são, não sabes?
    E, olha que eu não conheço 6 homens com todos estes atributos. Toma!

     
  6. Piero |

    Cara Jú,

    Mas conheces um homem assim. Sendo a excepção que faz a regra.

    Portanto estamos bem ;)

     
  7. Teira |

    A única conclusão possivel a retirar de tudo isto é o rácio existente de 1 para 6: 1 homem completo para 6 mulheres completíssimas!

    De que te queixas tu, Pedro?
    Desagrada-te esta compensação?!

     

Enviar um comentário