É um bocado clichê

4

Written on quarta-feira, novembro 05, 2008 by Maria

Mas eu acho que o discurso de vitória do Obama é um dos melhores. É daqueles que vai ficar para a história:




Agora, quando é que os políticos portugueses vão aprender a não ler nem a usar ponto nos discursos? Reparem na força que tem ele estar a olhar directamente para as pessoas...


Beijos e abraços

Piero

If you enjoyed this post Subscribe to our feed

4 Comments

  1. Lulylai |

    Pedro,

    nao é cliché nenhum! É dos momentos mais emocionantes! E nós tivemos o privilégio de fazer parte desta geracao! Que Portugal (e os politicos portugueses) aprendam com ele, nao só a nao ler dos pontos (lol), mas o que é um discurso que fica para a história!
    Tenho a certeza que um dia os portugueses terão esse orgulho em alguem! :)

    Beijinhos,

    Luiza

     
  2. Rui Coelho |

    Como já li por aí, um dia a malta vai dizer que viu este homem ser eleito presidente, como resposta a quem diz que viveu no tempo em que se chegou à lua.

    Que os states tenham tido a coragem de cortar com tudo o que ficou para trás, e elegê-lo, é qualquer coisa que só teremos a completa noção do que é dentro de muito tempo.

    Mas ouvi-lo falar neste, e noutros discursos, já oferece umas pistas.

     
  3. Anónimo |

    Também acho que o obama era a melhor opção... mas, sinceramente, espero que, daqui a 2 anos, as pessoas se lembrem do que disseram a quando da eleição...

     
  4. Teira |

    Oh Pedrinho, não quero destruir o teu sonho de um dia os teus filhos verem politicos portugueses a discursarem sem ler ou sem telepontos...mas ainda não chegámos lá!

    Embora o Presidente Obama seja um orador fenomenal como já todos pudemos assistir neste e noutros discursos, ainda não tem nenhuma memória genial que lhe permite decorar tanta coisa.

    Se prestares atenção os telepontos estão lá, mas o que vemos do lado do publico são uns vidros rectangulares cujo texto o Presidente lê do seu lado.

    Não que isto lhe retire algum mérito ou ao seu discurso, mas há também que engrandecer e felicitar o speechwriter(s) que o escreveu.

    Quanto ao marco na história, para mim o discurso de Berlim marcou a história, este eterniza o momento.

     

Enviar um comentário